Relatório de Empréstimos - 25/08/15


Esta semana marcou o início da liga espanhola, que contou com as estreias de Reyes, Ghilas e Andrés Fernandez, pela Real Sociedad, Levante e Granada respetivamente. Os três jogadores atuaram os 90 minutos e aparentemente são opções de primeira linha nos respetivos clubes.
Estreia também para Leandro Silva, Braima Candé e Anderson Dim, que somaram os primeiros minutos na nova temporada. Leandro jogou os 90 minutos mas teve uma péssima estreia no jogo contra o V. Setúbal sendo a Académica goleada em casa, num jogo em que Gonçalo Paciência atuou também os 90 minutos. Braima Candé teve uma estreia hilariante, não se esperando outra coisa de um jogador que passou 1 ano e alguns meses sem 1 único minuto de competição oficial, sendo expulso no seu primeiro jogo. Anderson Dim teve uma estreia discreta no empate do Freamunde com o V.Guimarães B, tendo entrado na segunda parte.
Uma jornada sem destaques em vídeo, já que não houve golos ou assistências. Resta dar uma vista de olhos no relatório e tentar vaticinar quem terá direito a minutos esta época.


A saída de Alex Sandro

Alex Sandro, o nosso lateral esquerdo, foi vendido à Juventus, por 26 milhões de euros.

Por muito que custe, a poucos dias do fecho do mercado de transferências, perder um jogador com a qualidade de Alex Sandro, o negócio é necessário. Em termos desportivos, será um golpe duro, é
certo, para mais, num defeso onde perdemos outros quatro indiscutíveis, Casemiro, Danilo, Óliver e Jackson e um jogador muitíssimo utilizado, Quaresma. Arranjar um substituto à altura será deveras complicado, para mais com tão pouco tempo para o fazer e com os campeonatos a decorrer. No plantel, José Angel não tem, de todo, a mesma qualidade e Cissokho terá, primeiro, de se ver definitivamente livre dos inúmero problemas com lesões que o afectam.

No entanto, urgia que o Porto fizesse uma grande venda até 31 de agosto. Isto porque, de acordo com o modelo de negócio da SAD, esta necessita de fazer, no mínimo, 60 milhões de euros em mais-valias com a alienação de passes de atletas por época desportiva, o que corresponde, genericamente, a três grandes vendas. Na época transacta, mesmo com o brinde que o Real Madrid nos deu, ao pagar 7,5 milhões de euros por Casemiro, com o registo de um segundo prémio de cerca de 8,5 milhões de participação na Champions League, e com as vendas de Danilo e Mangala, foi necessário vender Jackson à pressão, a poucos minutos do final da temporada, para que a SAD não tivesse prejuízo. Ou seja, o Porto está muito dependente das vendas de atletas.

O problema, quero eu acreditar, não estará na tesouraria. Nesse âmbito, pouco importa quando é que os jogadores são vendidos, importa sim quando se recebe o dinheiro. E, com as vendas de Danilo e de Jackson, esta paga a pronto, muito maus seria se a tesouraria estivesse apertada, neste momento. O problema está nos resultados, ou seja no lucro, ou no prejuízo. E para a determinação desses
resultados, usados nos cálculos do cumprimento do fair-play financeiro da UEFA, importa a data em que o passe do atleta é alienado. Ou seja, em 2015/16, o Porto apenas vendeu Carlos Eduardo e Kleber que representarão uma fatia pouco significativa no gigantesco bolo das mais-valias necessárias. Assim, fazer uma grande venda nesta altura, fosse Alex Sandro, fosse outro qualquer é essencial para que a SAD possa encarar o resto da época mais tranquila e mais desafogada e sem a necessidade de fazer vendas à pressão no mercado de inverno, como Otamendi ou no final de junho, como Lucho Gonzalez após se ter gorado a transferência do regressado Cissokho para o Milan. Vendendo agora, permite à SAD ficar menos refém da lei do mercado, podendo decidir quem, quando e por que valores vender, ao invés de passar uma imagem de desespero, que desvaloriza os seus jogadores. Para mais, se se conseguir vender Herrera nesta janela de transferências, negócio que faria todo o sentido dada a abundância de jogadores para o seu lugar e dado o que o mexicano (não) anda a jogar, poderíamos encarar a temporada com um á-vontade que já não demonstrávamos há anos.

A perda de Alex Sandro é significativa, é um facto. Para além de perdermos um grande jogador, perdemos um grande homem, que nunca veio para a comunicação social chorar-se e fazer pressão para sair. Nem ele, nem o empresário, o advogado, o pai, a mãe, ou o canário. Para mais, vender um lateral que está a quatro meses de poder assinar a custo zero por qualquer clube por 26 milhões é um negócio que poucos clubes no Mundo conseguem fazer.

Obrigado por tudo, Alex!

Relatório de Empréstimos - 20/08/15


A bola começou a rolar em Portugal assim como nos principais campeonatos europeus e com isso volta a regularidade dos relatórios dos emprestados do FC Porto. A faltar colocar apenas 4 jogadores (Quiñones, Djalma, Rolando e Júnior Pius), já conseguimos notar algumas das tendências do que irá ser a nova época em termos de titularidades e tempo de jogo.
Comecemos pelos piores, os guarda-redes: com 2,3 e 5 jogos oficiais respetivamente, Kadú, Fabiano e Bolat ainda não somaram qualquer minuto. E se de um jogador de campo poderíamos afirmar que mais cedo ou mais tarde poderá encontrar o seu espaço, com os guarda-redes não é a mesma coisa e a previsão que se faz é que pelo menos estes 3 (falta avaliar Andrés Fernandez que não começou ainda a época) irão ser apenas reservas nos clubes onde se encontram, sendo que são claramente empréstimos para poupar ordenados e não para proporcionar competitividade aos jogadores.
A primeira surpresa da época foi Roniel, que contra a Académica fez o único golo da partida, tendo feito parte também dos principais lances de perigo do Paços de Ferreira sendo considerado por isso o melhor em campo por (pelo menos) o jornal O Jogo.
Boa surpresa também é a titularidade dos jovens emprestados Gonçalo Paciência, Ivo Rodrigues, Otávio e Fidelis, que aparentemente serão titulares ou pelo menos lutarão por um lugar nas suas equipas. Apesar de tudo Kayembe, Leandro Silva e Anderson Dim não jogaram, mas poderão ainda ganhar o lugar ao longo da época. Pior está Caballero que depois de somar já 208 minutos nas primeiras partidas, contraiu uma lesão grave: uma rotura de ligamentos e terá uma longa recuperação pela frente.
Podem conferir a seguir todos os números no relatório e ver as imagens do golo solitário de Roniel:



Golo de Roniel: