A crise no BES e os três grandes



A recente crise no BES veio levantar algumas questões sobre a dívida a esta instituição bancária, por parte dos três grandes, Porto, Benfica e Sporting.

Historicamente, o BES é o banco português que mais dinheiro emprestou aos clubes portugueses, secundado pelo BCP. Chegou, inclusivamente, a patrocinar os três grandes. Logo, é natural que grande parte da dívida bancária dos clubes seja, precisamente, ao Banco Espírito Santo.

Dada a crise no banco, é natural que este seja obrigado a reduzir a sua actividade e, a tentar "ver-se livre" dos seus activos com maior risco. Dada a situação financeira dos três grandes, é evidente que se enquadram neste grupo de maior risco. Será, portanto, natural que o BES tente reduzir os empréstimos aos clubes.

Ainda assim, os contratos assinados são para cumprir. Logo, e a não ser que a SAD de algum dos três grandes já tenha vendido a alma ao diabo, o BES não pode, unilateralmente, obrigar os clubes a pagar antecipadamente as dívidas.

Ainda assim, há duas coisas que o BES pode fazer, que podem prejudicar o futuro dos clubes. Em primeiro lugar, o BES pode, deve e provavelmente vai fazê-lo, não conceder qualquer financiamento adicional aos clubes. Até aqui, tudo normal. O que pouca gente está a ver são as contas correntes caucionadas, ou descobertos bancários.

As contas correntes caucionadas são, grosso modo, a possibilidade que os bancos concedem a empresas para que estas tenham acesso à hipótese de terem as contas bancárias a negativo. Estes empréstimos têm, por norma, um prazo curtíssimo, com a nuance de serem, automaticamente, renovados, se nenhuma das partes se manifestar contra essa renovação.

E aqui é que a "porca torce o rabo". Se o BES não quiser renovar estas linhas de crédito, os clubes podem ser forçados a pagar as suas dívidas a breve trecho.

Analisando os relatórios e contas trimestrais, o Porto deve 10 milhões de euros nestas condições ao BES, o Benfica uns espectaculares 64,3 milhões e o Sporting uns inimagináveis 85 milhões, embora não seja divulgado quem são os credores, estes não devam fugir muito ao binómio BES-BCP.

Por aqui se vê as dificuldades que os clubes podem ter num futuro muito próximo, principalmente os rivais de Lisboa. Talvez isto ajude a explicar a pressa para vender o plantel inteiro por parte de Luís Filipe Vieira, ainda para mais quando o BES é accionista do Benfica Star Fund, que foi aldrabado no negócio Garay...


PS: Oblak diz que vai ser jogador do Atlético de Madrid. Markovic foi anunciado pela comunicação social, como reforço do Liverpool fez domingo uma semana. Foi para Liverpool na sexta e posou para fotografias com uma camisola dos "Reds". Também já se despediu do Benfica nas redes sociais. O negócio Markovic foi comunicado hoje à CMVM. De Oblak continuamos à espera. Que a CMVM faça alguma coisa.

Martins Indi


Mais um reforço para a época 14/15. Desta feita o central holandês Bruno Martins Indi. 
Agora que acabou o Mundial e depois de voltar do Brasil foi oficializada a sua compra aos holandeses Feyenoord.
O central custou 7,7M pela totalidade do passe e provavelmente virá substituir o francês Mangala que ao que tudo indica sairá para o Manchester City.

Esta época estamos a ficar com um plantel de luxo, temos tudo para voltar à normalidade, ou seja, voltar a ser campeões com alguma margem.

Opare e Adrián



Opare e Adrián já seguiram hoje para o estágio na Holanda com a equipa do Futebol Clube do Porto.

O defesa ganês chegou de manhã ao Olival e fez treino de readaptação.

Já o avançado Adrián chegou ontem ao Porto, fez os habituais exames médicos e assinou contrato por 5 anos, até 2019, com cláusula de rescisão de 60M/€ e custou 11M/€ por 60% do passe.



Dito isto resta dar-lhes as boas-vindas e desejar-lhes a melhores das sortes no clube. O sucesso deles é a nossa alegria.